Instituições Públicas Brasileiras

As matizes da “estabilidade” brasileira. O legado do corporativismo varguista. O mundo previdenciário à luz das reformas recentes. A Fazenda, o Banco Central e o Tesouro. Planejamento e Gestão. As instituições do Estado de Bem-Estar Social Brasileiro. O teto dos gastos. A infraestrutura no Brasil ao longo do tempo. C&T, Meio Ambiente e Comunicação. As organizações da era dos direitos. As estatais. Os arranjos regulatórios. Da configuração federativa da República Velha aos impasses do século XXI. A relação do público com o privado. Consórcios Públicos. 

Informações Básicas

Carga Horária
60 horas
Pré-requisito
Não se aplica

Básica:

ARANTES, Rogério B. COUTO, Cláudio G. “Uma constituição incomum” In CARVALHO, M.A.R; ARAUJO, C. e SIMÕES, J.A. (2009) A constituição de 1988. Passado e Futuro. São Paulo: Hucitec: Anpocs, 2009. Págs. 17-51. 

ARRETCHE, Marta (2013). “Quando instituições federativas fortalecem o governo central?” Novos Estudos CEBRAP. São Paulo. No.95 São Paulo Mar. 2013 

FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI, Fernando (2007). “Instituições Políticas e Governabilidade. Desempenho do governo e apoio legislativo na democracia brasileira” in MELO, Carlos R. &  

FIORI, José Luís. Estado de bem-estar social: padrões e crises. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 7, 1997. 

HALL, Peter A.; TAYLOR, Rosemary CR. As três versões do neo-institucionalismo. Lua Nova: revista de cultura e política, 2003, 58: 193-223. 

KERSTENETZKY, Celia Lessa; KERSTENETZKY, Jaques. O Estado (de Bem-estar Social) como ator do desenvolvimento: uma história das ideias. Dados, v. 58, n. 3, p. 581-615, 2015. 

NICOLAU, Jairo (2017) Representantes de quem? Os (des)caminhos do seu voto da urna à Câmara dos Deputados. Rio de Janeiro, Zahar. Cap. 1, pp. 21-46. 

AVELAR, L; CINTRA, A.O. Sistema Político Brasileiro: uma introdução 3ª. Edição, Rio de Janeiro/São Paulo, 2015, p. 247-270. 

Complementar:

LOUREIRO, M. R.; ABRUCIO, F.L. & PACHECO, R.S. (orgs.). Burocracia e Política no Brasil: Desafios para a ordem democrática no século 21. Editora FGV, Rio, 2009. 

NORTH, D. 1991. Institutions.  Journal of Economic Perspectives, 5: 97-112. 

SARAIVA, Enrique e FERRAREZI, Elisabete (org.). Políticas públicas: coletânea. Brasília: ENAP, 2006. 

SCOTT, W.R.  1987.  The adolescence of institutional theory.  Administrative Science Quarterly, 32: 493-511. 

SCOTT, W.R.  2008.  Approaching adulthood: the maturing of institutional theory.  Theory and Society, 37:427-442. 

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20-45. 

As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19 / 2018.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.